TODOS POR ELAS

O evento foi muito além de uma simples comemoração pois tratou de temas atuais e polêmicos relativos a mulher. Com o título “Todos por Elas”, a semana de 06 a 09 de março, em comemoração ao dia da Mulher (8 de março) teve uma conotação especial e foi promovido pela Coordenadoria das Delegacias da Mulher – CODEM em parceria com a Escola Superior da Polícia Civil comemorando o Dia Internacional da Mulher e os 33 anos da Delegacia da Mulher com um cronograma repleto de atividades promovendo a integração, conscientização, aprimoramento e bem estar das servidoras da Segurança Pública e das Forças Armadas.

O evento encerrou na última sexta-feira (9) e contou com a presença de servidores e representantes do Sinclapol, o presidente, Fabio Rossi Barddal Drummond, 1º vice-presidente, Daniel Luiz Santiago Côrtes, diretor de assuntos parlamentares, Rohanito Navarro de Goes e Dalton Pazello, presidente do Conselho Fiscal do Sinclapol.

Violência Contra a Mulher

Uma das presenças marcantes no evento foi da Delegada Coordenadora das Delegacias da Mulher do Estado do Paraná, Dra. Marcia Rejane Vieira Marcondes. De acordo com a Dra. Marcia, a Coordenadoria das Delegacias da Mulher fica junto com a Divisão da Polícia Especializada. “Somos anexos deles. Nós temos no Estado do Paraná 20 delegacias da Mulher. Uma na capital, duas na Região Metropolitana, Araucária e São José dos Pinhais e outras dezessete no interior do Estado. Eu coordeno estas delegacias,”comenta.

Com experiência de 24 anos na Polícia, a delegada explica que houve mudança no comportamento da mulher.“Naquela época atendíamos mulheres que estavam a 20 até 30 anos em um relacionamento e muitas vezes sofrendo violência de seus companheiros. Elas só procuravam a delegacia da mulher depois de alguns anos de sofrimento. Hoje temos um perfil diferente, com mulheres mais jovens entrando em contato conosco, com idade entre 20 e 30 anos. No momento em que são ameaçadas elas já nos procuram e nós de pronto podemos auxiliá-las.

A mudança de comportamento nas mulheres gerou aumento significativo no número de boletins de ocorrência. Em 2017, somente na Delegacia da Mulher em Curitiba foi registrada uma média de sete mil boletins de ocorrência. A violência doméstica não é só marido e mulher, pode ser mãe e filho, avó e neto, situações difíceis e resolver.

Conselho para as mulheres

A dica da Dra. Marcia para as mulheres é não deixar a violência doméstica progredir. “Não deixe a violência avançar. Procure uma Delegacia da Mulher ou uma rede de saúde. Dependendo de onde você estiver, eles vão lhe amparar. Eu não gostaria de atender casos de feminicídio,”adverte a delegada.

Crescimento na Polícia

O Diretor da Escola Superior da Polícia Civil, Dr. Sebastião Ramos dos Santos Neto diz que a participação da mulher na Polícia Civil cresceu muito. Algumas ocupam cargos de direção.“Chamamos atenção para a importância da mulher dentro da nossa instituição e também no contexto da sociedade.Tivemos uma recomendação para fazer um grande evento voltado para a mulher policial promovendo uma integração. Realizamos este evento juntamente com a Dra. Marcia Vieira Marcondes, Delegada Coordenadora das Delegacias da Mulher do Estado do Paraná (CODEM) e a Delegada Maritza Maira Haisi, Chefe de Divisão de Polícia Especializada. Nestes quatro dias oferecemos cursos e momentos de bem estar.Chamamos atenção sobre a importância da mulher dentro da nossa instituição e também no contexto da sociedade,” diz o diretor.

Deixe uma resposta